Evento - Festival do Pacto das Guildas VII

Página 2 de 3 Anterior  1, 2, 3  Seguinte

Ir em baixo

>Thysa, Irvas, Cyrus, Grimmo

Mensagem  Farid em Outubro 31st 2013, 03:28

A cada palavra proferida pela Orzhov, Dahl era obrigado a se controlar um pouco mais, as palavras cortavam como uma lâmina bem suja, onde a vida tirada por ela pouco importava. O azorius respirou fundo, deixando que a Orzhov falasse tudo que ela tinha em mente, ignorante completamente o desconhecido elfo que havia doado um barril de sabe-se lá o que, olhando-a com um ar não de superioridade, mas de nojo. A falta de empatia dela com tantos outros de Ravnica era visível. Dahl apenas ouviu cada palavra e nenhuma dizer, conseguindo manter a calma até ela citar um velho homem próximo a uma pilha de roupas, as palavras dela extrapolaram limites. Dahl apontou seu indicador para o velho, inclinando seu corpo para direção da Orzhov

Farid: Ele é vivo! Ele tem uma vida ruim, ele não nasceu com os privilégios iguais aos seus, ele não tem sorte como os Azorius ou Orzhovs, ele não tem uma vida invejável, ele não é financeiramente exemplar, mas ele é vivo! - Farid sussurrava em um tom bem agressivo, então continuou - Ele não tem nada, absolutamente nada na vida, mas a cada novo dia ele tenta fazer melhor que antes, pois ele VIVE! -Seu indicador então voltou-se em direção a Orzhov -  Já você só se preocupa com finanças, com sua vida de luxo, não se importa com os outros. Eu tenho pena e tristeza de vocês, não conseguem simplesmente sentir algo, vocês deixaram a humanidade tão especial que temos de lado!

Ele voltou a sua posição de antes, aparentemente mais calmo após o desabafo, então procurou e achou algo numa pilha de coisas que estavam debaixo do balcão: Um pequeno chaveiro com a imagem figurativa de um coração de pelúcia, estava em perfeito estado

Farid: Este aqui é para você, talvez faça você saber o que é ter um...

Então colocou o chaveiro sobre o balcão, olhando nos olhos da Orzhov, mas algo parecia estar ocorrendo próximo dali

ROAAAAAAAAAAAAAAAAR

Farid não conseguia identificar exatamente o que era aquilo, torceu a sobrancelha, deu uma última olhada para a Orzhov - como um até logo - e saiu dali correndo, mas diferente de algumas pessoas que corriam para longe de onde o barulho havia surgido, ele estava indo em direção a ele. Não demorou nem mesmo 20 segundos e Farid havia chego. Um dragão. Havia fogo ao redor dele, provavelmente de alguma tocha que caiu durante sua chegada ali ou de alguma baforada do ser. Olhou para os lados rapidamente e não viu ninguém fazendo nada, mas algo precisava ser feito

Farid: AFASTEM-SE! SAIAM DE PERTO DELE!!!

Gritou, estendendo sua mão esquerda no ar a sua frente. Seus olhos brilhavam em um azul incandescente enquanto um terceiro semelhante a uma tatuagem surgia em sua testa e bem próximo de suas mãos algumas runas pareciam surgir e se movimentar com o mover de dedos do azorius. Ninguém sabia ao certo do que se tratava, apenas poderiam ver uma espécie de barreira azulada - bem fraca - começar a surgir e crescer lentamente sobre a cabeça do dragão, como um escudo esférico. Ele estava concentrado ao extremo

avatar
Farid
Aspirante Azorius
Aspirante Azorius


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

> Magnus

Mensagem  Juliette em Outubro 31st 2013, 07:57

A ladina então sorri satisfeita ao notar que finalmente o boros pedia a bebida, Juliette então se ajeitava, inclinando seu corpo um pouco mais pra frente, de modo a salientar o decote de seu vestido colado.

Paciente é um outrro nome para devagarr, non?

Ela dava uma piscadinha e sorria um sorriso largo para Magnus que servia o champanhe nas taças fornecidas, Juliette não era boa de brigas ou combates, mas de furtividade entendia, e de soslaio percebeu uma fada estranha derramando algo em sua taça e desaparecendo logo em seguida, rápida e praticamente invisível, não sabia o que era, mas não pagaria pra ver, aproveitando-se então da reverência do boros, que certamente estaria com o olhar mais ocupado em seu decote ou pernas, afinal que tipo de homem seria? Ela furtivamente inverte as taças, deixando a do citoplasto ao lado do guerreiro.

Magnus... um nome de rrei non?

Fazia um olhar cômico de interesseira e então aceitaria a taça, dando um gole demorado, aproveitando o sabor da bebida.

Pois bem, me deste a boire, terrá sua répondre...

Ela então esticava a mão para ser beijada.

Mademoiselle des Barres, muito prrazerr monsieur Karlatos, muitíssimo prrazerr...

Como se já não arrastasse suficiente o R, ela o forçava ainda mais na palavra prazer.
avatar
Juliette
Aspirante Dimir
Aspirante Dimir


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Cyrus/Farid/Gimmo

Mensagem  Klattic em Novembro 1st 2013, 12:05

*Klattic estava dançando com Belissa, mas sem muito sucesso. Não sabia dançar
Belissa -Um guerreiro veterano tropeçando em uma simples dança?- Ela disse rindo
Klattic -Pff.. que RAIOS!- Respondeu de forma exclamada.
Belissa -Não precisa ser rude
Klattic -Não é isso pff OLHE!


*Klattic apontou para um dragão em meio ao festival, de porte e aparência idêntica ao Niv-Mizzet. Isso é um grande problema
Klattic -Por minha culpa não estamos armados para isso pf pff!

Não se preocupem
- Disse comandante  minotauro Brev Grezar - 3 soldados de minha tropa estão aqui, VAMOS TER PRESUNTO DE DRAGÃO PARA O FESTIVAL!


*Os 3 soldados surgem em meio ao festival,estavam próximos à barraca de Farid degustando do suco de Tutti-Frutti criado por Gimmo enquanto faziam doações.



Brev Grezar: AVANTE COMANDO DE ORDRUUN!

*Os 3 soldados avançam em Cyrus Mizzet, mas antes de qualquer ataque, sintomas estranhos surgem, os fazendo cessar a investida.
-Put@ MERDA! O que está acontecendo?! Gritou Brev em choque.

*Todos os soldados começam a se transformar! Ficam esverdeados, magros, mais altos e com grandes orelhas pontudas. A transformação os deixam enjoados e enfraquecidos. Mal cabem mais em seus uniformes militares e também mal têm força para levantar uma lança.



*Além dos três soldados, todos os cidadãos que tomaram o suco metamorfo também estavam mudando. Algúns, porém, tiveram efeitos colaterais, se transformando em homens-sapos, lagartos, cobras e até mesmo ovelhas.
-Pff... essas orelhas de elfo vigeano...essas transformações...pff SIMIC! -Exclamou Klattic pensando em Gimmo Riv!
avatar
Klattic
Aspirante Boros
Aspirante Boros


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

> Farid

Mensagem  Narrador em Novembro 6th 2013, 21:40

O azorius apontava o indicador para o velho, a orzhov o olhava com tédio e superioridade enquanto o mesmo era agressivo, mudando até sua postura e agora gritava e gesticulava com o dedo apontado para ela, Thysa dava um passo para trás para não ser tocada, o mago parecia afetado e fora de controle, a orzhov permitiu-se até um sorriso enquanto ele procurava em seu balcão por algo, era um coração de pelúcia, e o deixava para ela no balcão, um rugido alto então perpetuava pela praça até a barraca.

Hum?

A orzhov permitiu-se virar o rosto na direção do som, não seria novidade uma ou outra confusão no dia do Festival do Pacto das Guildas, e não seria esta que impediria Thysa de fazer o seu serviço, ainda que Farid não fizesse ideia do que se tratava em sua barraca, o azorius então partia em disparada, ela no entanto, pegava e analisava lentamente o coração de pelúcia, dois soldados orzhovs podiam ser vistos próximos, pouco atrás do velho a remexer nas roupas de doação, experimentava alguns cachecóis.

Tolo sentimental... mas um tolo útil... afinal... o festival por si só já é um ótimo atrativo para os nossos desafortunados devedores foragidos... com uma barraca de favores então... é como mel para abelhas...

A orzhov então dava alguns passos na direção do velho, brincava com o coração entre os dedos.

Creio que não precisará mais deste cachecol Sir Godric... ou deveria dizer Godric, o devedor? Acho que o último título lhe cai melhor...

Ela falara alto, e o antigo cavaleiro arregalara os olhos e desajeitadamente dava passos rápidos e desajeitados para trás, esbarrando num dos soldados que logo o imobilizou segurando seus braços às costas, Thysa então sacava um rolo de pergaminho de suas vestes.

Preciso ler em voz alta tuas dívidas?... conhece-as bem o suficiente não? Faça...

Num golpe preciso e treinado, Sir Godric tem a cabeça liberada do corpo, Thysa então fechava os olhos e entoava um encantamento, logo um Sir Godric espectral aparecia ao lado de seu cadáver, de cabeça baixa e melancólico, pairando silenciosamente no ar.

Levem o corpo e joguem na carroça com os outros para o imersário...

Thysa então rumava até o monte de roupa aonde a cabeça jazia, abria então a boca do moribundo e enfiava o coração de pelúcia, jogando-a em seguida num cesto de doações, depois, ia até uma mesa que parecia estar sendo usada por Farid para organização e pegava uma pena, usando o verso da sentença de Sir Godric para escrever um bilhete que ali deixou, sumindo pouco depois juntamente com o fantasma.

Bilhete:
Agora ele já não é mais vivo... espero que minha doação contribua.

Thysa Karlov

Voltar ao Topo Ir em baixo

> Juliette

Mensagem  Magnus em Novembro 9th 2013, 08:38

Magnus: Outro nome? Não, não... Eu diria que alguém paciente é alguém que sabe que vai conseguir o que quiser, por isso não precisa ficar desesperado ou apressado com nada, até porque as melhores coisas da vida nós fazemos com um jeitinho peculiarmente sereno.

Ela continuava a falar, mas acima disso, mostrava-se definitivamente uma mestre na arte seduzir, até mesmo com algo que parecia ser natural - seu sotaque. Ela fez um comentário interessante sobre o nome do simples soldado, demonstrando um interesse em um possível status, logo tomou um gole da bebida. Karlatos sorriu. Finalmente uma pergunta respondida

Magnus: O prazer, com toda certeza, é meu, milady - Abaixou devagar a cabeça, beijando a mão da dama - Quanto ao elogio a meu nome... Bem... Posso ser rei, posso ser um vassalo, um escravo, um príncipe, um soldado - Sorriu, tomando rapidamente um gole de sua taça - Posso ser qualquer coisa que você quiser.

Sorriu, encarando Juliette nos olhos, até que as coisas começaram a tremer bem leve. Seu olho ficou turvo, ele passou a mão pelo rosto como se estivesse tonto. O suor frio começava a chegar até ele, que calado balançava a cabeça negativamente passando a mão pelos cabelos. Sentia como se seu corpo estivesse mudando da forma mais literal possível

Magnus: Mas, mas, mas que MERDA É ESSA?!

Seus músculos pareciam murchar, seu corpo estava ficando em uma cor verde-esmeraldino, seu tronco estava esticando assim como o resto de seu corpo. As roupas do antigo corpo largo agora começavam a cair e enquanto estava de pé, acabou ficando sem veste alguma naquela forma bizarra de elfo. Imediatamente abaixou-se, sem falar nada, levantando a sua calça e segurando-a na cintura com as mãos para não cair. Estava completamente envergonhado e sem jeito, enquanto outros dividiam-se entre também transformados e risonhos

Magnus: Eu, eu.... Eu tenho que ir!

Foi tudo que conseguiu dizer para a bela moça. Não sabia o que fazer, sentia-se outro. Apenas correu, segurando as calças, para o banheiro ao lado do bar, derrubando algumas cadeiras e mesas no caminho, sem ter a menor ideia do que havia acontecido
avatar
Magnus
Aspirante Boros
Aspirante Boros


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Evento - Festival do Pacto das Guildas VII

Mensagem  Sirius em Novembro 9th 2013, 09:13

No alto de um grande edifício as bordas da praça central, Sirius estava encostado em uma torre d'água, apenas observando sob as sombras tudo que estava ocorrendo na praça, desde as apresentações de diversos grupos até o simples movimentar da população por entre as barracas. Os fogos eram deveras incômodos, tanto pelo brilho que eles proporcionavam a aqueles sons horríveis de explosões

Sirius: Um evento falso, simbolizando uma falsidade entre as guildas... Ah, Ravnica.

Vez ou outra algumas coisas aconteciam lá embaixo, na praça, mas nada que chamasse tanta atenção quanto uma correria em um ponto especifico. Com suas vantagens óbvias, Sirius observava o motivo daquilo e finalmente deu um sorriso por debaixo daquela máscara: Um dragão

Sirius: Isso vai ser divertido, vamos observar os envolvidos, informação é sempre bem vinda.

Apenas cruzou os braços, com sua visão focada nos arredores do dragão
avatar
Sirius
Aspirante Dimir
Aspirante Dimir


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

> Farid e Klattic

Mensagem  Cyrus em Novembro 9th 2013, 13:09

O dragão terminava seu rugido e olhava em volta, aparentemente curioso, virava a cabeça de um lado para o outro e abria as asas, olhava tanto para as torres no horizonte como para os milhares que corriam à sua volta, voltou sua atenção para estes então, alguns estavam histéricos, outros desmaiados e uma meia dúzia em pânico com seus novos corpos verdes, logo um dos pequenos chamou sua atenção, era Farid, o mago parecia querer pará-lo, e logo Cyrus notava a barreira translúcida crescendo, o dragão então rapidamente olhou para os ladrilhos que forravam o chão da praça, e assim com um patada certeira criou uma fenda que, geometricamente perfeita, visou os pés do mago, para desequilibrá-lo e então encerrar a mágica, o dano estrutural fora mínimo.

ROAAAARRRRRRRRRRRRR!!!!

Cyrus então soltava mais um rugido furioso aos céus, acompanhado de uma labareda para cima. Logo o izzet era surpreendido por soldados boros, que antes mesmo de usarem suas lanças tem seus corpos tornados verdes e esguios, e entram em confusão, bem como seu líder minotauro que parecia furioso, O dragão então avança até eles, com um golpe de asa arremessa Brev longe e com uma das patas apanha um dos "soldados vigeanos", elevando-o e o olhando com curiosidade, como se o analisasse.

avatar
Cyrus
Aspirante Izzet
Aspirante Izzet


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

> Sirius

Mensagem  Sistema em Novembro 9th 2013, 13:26

Usando a telecinese para levitar e reduzir todos os ruídos de sua chegada, Jace Beleren (NPC) parou no topo do telhado ao lado do assassino dimir, Sirius sussurrava, mas nem que não o fizesse sua mente seria um livro aberto para o planinauta protetor de Ravnica, se ele assim o quisesse. Jace parecia visivelmente preocupado com a situação que ali se instalava, estava tenso e olhava diretamente para o dragão adiante, retirou então o capuz e ainda com o olhar fixo falava.

Eu não definiria como divertido dimir, no entanto não nego que escolheu o melhor ponto para visualizar a situação.

Jace falava sério e preocupado, o assassino não seria um problema, mas poderia tornar-se um empecilho.

Por isso acredito que tenha assistido desde o começo deste caos, se é que sua guilda não está por trás de tudo... Que tal nos poupar de esforço desnecessário e contar tudo o que sabe e que viu?
avatar
Sistema
Administrador


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Evento - Festival do Pacto das Guildas VII

Mensagem  Nau Kaa em Novembro 9th 2013, 17:13

Nau Kaa, Gruul peregrino de Zhur-Taa andava pelas ruas de Ravnica.

Era noite do Festival do Pacto das Guildas, mas não veio pela festa pois não gostava do centro da cidade, das multidões,isso não lhe dizia respeito. Nem tinha dinheiro mesmo.

Veio procurando uma pessoa, um Izzet! Teve um duelo com ele e o seguimento bem como o resultado não foi satisfatório para Nau Kaa, pretendia desafiá-lo para um novo combate.
Imaginou que ele estaria neste festival, e como esse se descreveu como famoso parece que seria fácil achá-lo. Perguntando para alguns eles indicaram uma direção.

No caminho várias pessoas esbarravam nele. Irritante, pareciam em fuga até!?

Chegando na praça central viu uma algazarra, gente correndo e gritando.
O Gruul viu elfos altos e verde-azulados com armaduras Boros. Não imaginava que os Boros tivessem elfos nas suas fileiras e ainda tão esquisitos, eram cômicos porque pareciam desengonçados nas armaduras, desajeitados. Havia outros em trajes comuns mas também homens-sapo, cobras e outra coisas. O quê estava ocorrendo?

Foi com um rugido que viu o motivo do tumulto.
Um rugido seguido de um tremor no chão, várias pessoas correndo desesperadas. Quando abrem espaço ele vê no centro do Festival uma cratera, um homem caído que parecia mago pelas vestes e o brilho nos olhos e diante dele um grande Dragão Vermelho!

“Um Dragão?! Nunca tinha visto um antes!”

Ficou a admirar a cena!
Ficou se perguntando, deveria fazer algo contra a criatura? E Qual será o gosto da carne dele?
avatar
Nau Kaa
Aspirante Gruul
Aspirante Gruul


Ver perfil do usuário http://ravnica.foruns.com.pt/t31-ficha-nau-kaa

Voltar ao Topo Ir em baixo

> Núcleo: Cyrus

Mensagem  Farid em Novembro 9th 2013, 18:00

As coisas estavam ficando cada vez mais loucas. Farid tentava ao máximo se concentrar no escudo que fazia ao redor do dragão, que só agora começava a tomar uma forma real. Alguns boros haviam chego ali, mas antes de fazerem qualquer coisa seus corpos foram se transformando aos poucos em corpos de elfos, que ficavam um tanto estranhos naquela armadura. O Azorius, que se concentrava no escudo, franziu a testa, olhando atentamente para a cabeça do dragão

Pensamento: Eu já vi esses traços em algum livro...


Essa pequena distração junto com um movimento rapido do dragão foram suficientes para levar o mago a queda, ficando com um dos pés presos dentro da fissura que havia sido aberta ali. O escudo fora desfeito e Farid segurava sua coxa direita para tentar puxar do buraco, com uma pressa óbvia, e uma certa afobação ao olhar o dragão e associa-lo a lembranças

Pensamento: Vamos, Farid, pense... Você já viu ele em algum lugar... Pens... Já sei!


Arregalou os olhos de imediato, havia se lembrado de alguns documentos Izzets que chegaram a um bom tempo nos arquivos em que trabalhava, se tratava dos registros de um suposto filho do grande Niv Mizzet, cujo o Azorius não lembra-se do nome, mas sim que era um ser híbrido e tão racional quanto seu pai

Farid: PAREM! - Gritou - Não tentem fazer nada contra ele!

O Azorius conseguiu finalmente tirar sua perna da rachadura e respirou fundo, erguendo os braços

Farid: DRAGÃO! Acalme-se e retome o controle, lembre-se de quem é! Lembre-se de seu pai!

Dahl engolia seco, estava morrendo de medo e preparando-se para um possível erro em seu plano, mas achou que apelar para a racionalidade de um dos últimos dragões de Ravnica seria uma boa opção, especialmente por ele ter - provavelmente - herdado a mente brilhante de seu pai, Niv Mizzet
avatar
Farid
Aspirante Azorius
Aspirante Azorius


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

> Núcleo: Jace (NPC)/Cyrus

Mensagem  Sirius em Novembro 9th 2013, 18:16

As coisas estavam ficando estranhas lá embaixo, além do dragão alguns soldados pareciam ter se transformado em elfo, o que indicaria que, certamente, aquele dragão tinha racionalidade suficiente para encantar vários alvos. O vampiro sorria novamente por debaixo de sua máscara, era um festival diferenciado, com toda certeza. Podia sentir que já não estava mais sozinho, mas não sabia de que ou quem se tratava

Pensamento: Que cheiro é esse? É como se eu estivesse em uma... biblioteca.

Finalmente Jace falou, o planinauta conhecido por dominar e controlar mentes

Sirius: Diversão é relativa, meu caro...

O dimir se virou, somente então reconhecendo aquele que o direcionava a palavra

Sirius: Ora essa, Jace Beleren, estou certo? Que engraçado, aquele que se diz protetor de Ravnica vindo até mim achando que nós dimirs estamos envolvidos com a aparição de um dragão em pleno festival... Essa brutalidade não é bem do nosso gosto, você deve ter ciência.

Então se virava novamente, olhando os acontecimentos ali

Sirius: Independente do que eu diga, você irá olhar minha mente para confirmar a veracidade ou não da informação, então porque não o faz de uma vez e tem sua resposta? Só peço que seja especifico no que vê e tenha certo cuidado onde toca, nós dimirs não gostamos muito de compartilhar segredos... E não estou só aqui.

Aquietou-se, focando seus pensamentos nas lembranças que tinha desde que chegara ali
avatar
Sirius
Aspirante Dimir
Aspirante Dimir


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Thysa

Mensagem  Klattic em Novembro 9th 2013, 22:40

*Caos no festival. Klattic apenas assiste os acontecimentos ao seu arredor. Soldados se tornando elfos verdes, entre outras anormalidades. Um soldado é agarrado por Cyrus e Brev é arremessado para longe, inclusive a queda de Farid. Mas teve outra coisa que não passa despercebido pelos olhos de Klattic.

-Pff, um eutanista.... Observou Klattic

*Klattic apenas dá algumas palavras para Belissa, sendo estas duas ordens. A maga então corre para auxiliar o minotauro Brev, caído no chão.

-Brev, você está bem? - Disse Belissa
-Argh... estou..bem, mas acho que quebrei uma costela... Argh.. Preciso beber algo forte... Onde Está Klattic? Respondeu Brev, se levantando com a ajuda da moça-

Belissa respondeu:  Ele saiu e me pediu duas coisas... A primeira era para vir lhe ajudar, e a segunda para não atacarmos o dragão.

*Isso pareceu muito confuso, mas Klattic já havia raciocinado o que precisava do evento. As anormalidades vieram de fonte Simic, embora Klattic não soubesse responder como, ele acreditava que o próprio dragão viesse dessa ação, conhecia humanos dragões como Cyrus. A teoria foi reforçada pelo fato que o dragão não atacou, apenas se defendeu de possíveis ameaças, como Grev e Farid. Isso foi confirmado quando se mostrou racional a ação do dragão ao segurar o soldado transformado, como se o analisasse, procurando respostas.
avatar
Klattic
Aspirante Boros
Aspirante Boros


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Thysa

Mensagem  Klattic em Novembro 9th 2013, 23:03

*Klattic estava correto, paladinos Orzhov estavam na barraca de Farid, isso não era um bom sinal. Sem perder tempo, correu em direção à carruagem e deu um soco na roda. A mesma explodiu em um grande estalo graças à magia do Boros vinculada ao soco.

*Impedindo a fuga, o Legionário pôde confirmar a suspeita. A barraca estava ensanguentada, juntamente como a arma de um paladino orzhov. Logo em seguida aparecia Thysa vindo da barraca.

-Pff  oras, com um dragão de mais de 3 metros no festival, seria perfeito impor sua agenda pessoal, você deve ter pensado.

-Estão presos!


*Embora não estivesse de armadura, e muito menos fardado, Klattic retira de seu paletó um sinete de sua guilda, apontando para Thysa.

-Pff... Thysa seu nome? Vou adorar te jogar numa cela imunda, por alguns minutos que seja. Afinal sei que sua família pagará uma fortuna por sua fiança, embora seja um valor muito menor que os lucros de um fim de semana fraco. Estou errado? pff

*Dizia o Boros, ainda apontando seu  sinete, enquanto a outra mão irradiava em mana, como chamas, pronto para disparar a qualquer momento.
avatar
Klattic
Aspirante Boros
Aspirante Boros


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Klattic

Mensagem  Narrador em Novembro 11th 2013, 08:23

Thysa caminhava calmamente de volta à sua carruagem, em suas mãos analisava um pergaminho com os nomes dos devedores a quem deveria procurar, encontrara oito num mesmo dia, era quase um recorde, mas até que um número pequeno perto da quantidade absurda de foragidos, uma pequena explosão então chama sua atenção, ao levantar os olhos do pergaminho ela nota que o barulho vinha da carroça de sua comitiva, os soldados orzhov reuniam-se em volta do homem que gritava e dava ordens.

Mas o que...

Com passos rápidos a orzhov se aproximava, o seu salto batia cadencialmente nos ladrilhos do chão, ela levantava a mão direita para que os soldados não atacassem o agressor, e então faria um cumprimento à Klattic que havia mostrado seu distintivo.

Feliz Pacto das Guildas meu bom oficial... muito prazer... sou Thysa Karlov... intendente de Vizkopa

Thysa então mostraria uma pequena credencial.

Felizmente degolar moribundos não é exatamente o que eu colocaria em minha agenda pessoal... contudo... estou apenas realizando parte da função que meu cargo exige...

Ela falava em tom sério e formal, não demonstrava emoção nenhuma a não ser uma leve ironia. Ela apontava para a roda da carroça de corpos.

Pelo seu método de abordagem eu suponho que deves ser um oficial de campo há pouco tempo... os métodos de Razia eram mais civilizados e menos... explosivos... espero que toda esta energia que Aurélia inflamou em vossa guilda esteja sendo também direcionada aos criminosos... falando neles... Irina... traga o restante dos documentos sim?

Da carruagem então sai uma moça jovem vestindo trajes orzhovs, tinha cabelos brancos escorridos e ainda que sua fisionomia lembrasse Thysa ela resplandecia inocência e pureza, ela carregava diversos rolos de pergaminho.

A lei de Ravnica toma por criminoso todo aquele que está em dívida e se recusa a arcar com ela... sendo inclusive incumbência dos boros a captura dos mesmos... a mesma lei deixa uma brecha que possibilita que o próprio órgão lesado pela dívida não quitada tome medidas cabíveis para a recuperação de seus bens ou lucros... mas você como um oficial sabe disso não é...

A orzhov então dava uma olhada rápida para a carroça e continuava.

Uma outra lei... um pouco mais antiga que esta... deixa claro que na ausência de bens, valores ou familiares a serem dados como pagamento de dívidas o corpo e a alma do devedor podem ser penhorados... ou seja caro oficial... como sempre toda a atividade da guilda orzhov está dentro das leis do Prahv que regulamentam a ordem em Ravnica... diferentemente da barraca de doações que eu suponho que não tenha a documentação necessária para funcionar e que sim exige a tua atenção... caso não se lembre das leis... como parece ser o caso... minha secretária Irina compartilhará com o senhor o conhecimento para que se torne um boros mais completo...

Ela ensaiou um passo, mas manteve-se no lugar.

Ah sim... gostaria por favor de seu nome e divisão... afinal é mandatório que eu informe seus superiores sobre o dano a uma propriedade de Vizkopa bem como ao tempo que perdemos em vão aqui para o ressarcimento...

Voltar ao Topo Ir em baixo

Cyrus

Mensagem  Gimmo em Novembro 11th 2013, 15:15

*Os experimentos de Gimmo estavam dando certo, as transformações já ocorreram. Quando ele avistou as belas elfas silhanas, que lhe deram um fora, se transformando em elfos, Gimmo prontamente se aproximou perto delas.

-Ainda a acho muito bela, gostaria de dançar?

*A elfa, agora esverdeada e disforme, grita com desespero olhando para si e para Gimmo, fugindo com as outras moças do evento. Mas isso não era por feito destes motivos bizarros, Cyrus se transformara num dragão ali perto.

* Gimmo olha para trás e fica maravilhado. Seus olhos olhos negros começam a brilhar em tons esverdeados e seus dedos a coçarem.

-Um...Dragão Mizzeniano! Preciso conseguir seu material genético! Se conseguir adicionar ele ao meu acervo, terei poder...
...
Poder de compreender a estrutura neurológica de Niv Mizzet!...
...
Poder de obter todos os dados genéticos de todas as criaturas de Ravnica!
...
...Poder de atingir à mente mais brilhante DESTE PLANO!...
...
...Poder criar um ser perfeito!
PERFEITO!

PERFEITO!

PERFEITO!


*Essa palavra veio em sua mente como uma lança no olho, mas com uma dor literal. Gimmo cai de joelhos e imagens estranhas de um passado que ele nunca presenciou aparecem em sua mente.

*Flashs de imagens*



-Kraj está quase completo!

-PRECISO DE FLUÍDO CEREBRAL DE DRAGÃO! SOMENTE COM FLUÍDO CEREBRAL DE UM VERDADEIRO DRAGÃO KRAJ TERÁ VIDA!

-Cresça! CRESÇA! SE TORNE A CRIATURA PERFEITA!
avatar
Gimmo
Aspirante Simic
Aspirante Simic


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Evento - Festival do Pacto das Guildas VII

Mensagem  Gimmo em Novembro 11th 2013, 19:00

* Gimmo volta à consciência. Sua cabeça doía como se uma lança transpassasse precisamente seu olho esquerdo. Viu imagens que nunca presenciou, mas que faziam total sentido.

-Pela maior sorte, meu experimento atingiu justo um descendente do dragão. Sou o único Simic presente aqui, serei o culpado por tudo o que está acontecendo! não posso deixar que me detenham antes de meu trabalho estar completo!

*Gimmo  se levanta, mas é outro ser que está pensando agora. Usando sua magia de citoplasto,  da mesma maneira que Gimmo tornou as pessoas do evento em elfos, ele aplica a si mesmo DNA de serpente, transformando-se num híbrido.

*A forma élfica é parciamente substituída por uma anguiforme. Partes de sua pele ganham escamas, e suas pernas se tornam uma enorme cauda de serpente. Versatilidade, velocidade e silêncio agora faziam parte em seu corpo élfico.




*Acompanhado ainda da fada invocada, o Simic se lança no bueiro mais próximo para desaparecer do público, deixando apenas algumas peças de roupa, que caíram pela transformação. Nadando e rastejando dentro dos dutos do esgoto até chegar ao próximo bueiro, este saía para a rua em frente à uma velha e decrépita torre, na qual era uma de vários prédios que rodeavam o quarteirão do evento.

*Aproveitando a nova forma, Gimmo sobe a torre silenciosamente, por dentro da construção. Ao chegar no alto do lugar, estava exausto. O corpo do elfo estava desgastado pela transformação tão brusca e rápida,  mas seu foco ainda o mantêm intacto.

*Observa Cyrus lidando com os Boros e Farid, é o momento ideal para investir. Porém precisava recuperar as forças. Gimmo apenas observa enquanto descansa, com cuidado para não ser visto.

-Preciso apenas que o citoplasto toque na pele do dragão. Feito isso terei o conhecimento de Niv Mizzet.
avatar
Gimmo
Aspirante Simic
Aspirante Simic


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Thysa

Mensagem  Klattic em Novembro 14th 2013, 20:54

* Os Orzhov cercam Klattic, mas não atacam por ordens de Thysa. A baronesa gentilmente cumprimenta o Boros, porém logo o ironiza pela carroça.

-Feliz Dia do Pacto para você também, Intendente de Viskopa. pff

-Pff Sou Klattic Koseritz, Cavaleiro Legionário da oitava divisão da legião de Boros, como você deve ter conhecimento, divisão abaixo apenas dos generais e magos da guilda, Qualquer membro do setor da legião pode atuar nas ruas quando necessário ao lado dos Wojek, caso seja necessário.

*Klattic toca o próprio rosto, de cima para baixo, da cicatriz próxima ao olho direito até chegar em seu cabelo, destacando os cabelos que já estão ficando acinzentados, como uma demonstração singela de experiência.

-Pff combato desde antes da Insurreição. Vi Razia cair e Aurélia ascender. Embora minha lealdade seja à legião e não à anjos belicistas, concordo com você sobre as atitudes da nova mestre da guilda. O único anjo que aprovei alguma liderança foi Pluma. Por isso nunca aceitei a promoção de mago da guilda.

*Uma moça jovem, provavelmente alguma parente de Thysa pela fisionomia, saiu da carroça para ajudar a baronesa. Klattic agora tem que travar o mais perigoso, ardiloso e cruel tipo de combate, a formalidade civilizada. Não tendo opção, Klattic guarda seu sinete, dá um gentil sorriso para Thysa e começa sua replica.

-Pff Muito bem. Inicialmente você correta. Pelo inciso 57 do 129º artigo do código penal de Ravnica, você está apta a esta prática, e provavelmente fez isso porque não queria esperar a burocracia azorius para chegar à legião.

*Klattic se aproxima de Thysa e Irene, sorri e se dirige à roda.

-Pff Porém, pelo artigo 72, mais precisamente inciso 8, qualquer ação que um funcionário Boros ou Azorius tomar como suspeito à criminalidade, pode ser impedido, tornando à respectiva guilda ilesa dos gastos da ação. No caso, você estava em fuga com um corpo e eutanistas em pleno evento público. Inevitavelmente qualquer agente que a visse dessa forma a interrogaria, concorda Baronesa? Logo, meu método de abordagem está de acordo com as normas.

-Pff Mas não se preocupe, também pelo artigo 72, a guilda boros proverá transporte para você. Valendo ressaltar que eu obstruí apenas a roda, por lei 18 de trânsito, sua carroça tem que ter uma roda sobressalente para cada quatro eixos. Seus serviçais devem ter capacidade de fazer o reparo.
*Diz Klattic, olhando para um enorme eutanista, como se o instigasse.

-Pff..alías, pelo artigo 32 do código de armas, apenas boros e azorius podem andar visivelmente armados em regiões públicas, com multa acentuada em dias de eventos, com uma sobretaxação cascata por ser o evento do Pacto das Guildas especificamente. Afinal Ravnica tem muito trauma desta época, não?

-Pff E estou vendo aqui um machado ensanguentado, que também fere a o artigo da intimidação pública. Ainda neste artigo da intimidação, seus agentes deixaram o local ensanguentado, sujando patrimônio alheio.


*Klattic se dirige à barraca, mas apenas a observando de fora, olhando o estrago e notando com um repúdio oculto a cabeça com da vítima, esta com uma pelúcia na boca.

Pff coff coff. Aqui tem tantas inflações que ficaríamos o dia todo debatendo, ainda mais que você aparenta uma notável experiência judicial, sabemos que os azorius inventam tantos empecilhos que é impossível respirar sem quebrar alguma regra. Isso pode ser resolvido no fórum azorius em outro momento, não vamos perder o dia do pacto, que é uma vez ao ano apenas, certo? Fora que está tendo um dragão aqui. Não quero que se machuquem.

-Pff  Um oficial já está vindo anotar a situação, ele mandará para o fórum e assim que a burocracia ocorrer, daqui alguns meses você poderá ir lá resolver estas pendências.


*Klattic sorri novamente para Thysa, pra tentar amigavelmente evitar qualquer prolongamento dessa dança de escorpiões.

-Obrigado pela atenção, senhora? Thysa. Desculpe tomar lhe o tempo, mas é nosso trabalho, infelizmente. Conto com sua compreensão. É um dia tumultuado à legião, ainda mais com o problema do dragão. Qualquer coisa estou à sua disposição

-Ah sim, quanto a esta barraca, está como propriedade de um Azorius. Seria absurdo um Azorius fora da lei, não? Mas, se você quiser, posso confirmar a legalidade para você.

Por favor, fiquem em segurança. Pff obrigado!
avatar
Klattic
Aspirante Boros
Aspirante Boros


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Festival do Pacto das Guildas VII

Mensagem  Nau Kaa em Novembro 15th 2013, 17:47

Nau Kaa observava aquela fera com interesse, em suas explorações pela Faixa de Escombros procurava conhecer todas as Bestas que passavam a habitar aquela floresta que nasceu da devastação de uma região de Ravnica.

Era um de seus modos de interagir com a natureza, se testar em caçadas e lutas com essas criaturas vorazes e magnificas. Houve vezes em que quase morreu outras que triunfou, mas nunca indo além das necessidades e que pudessem prejudicar uma espécie.

Agora tinha esse dragão a frente, uma espécie que só tinha ouvido falar. Mas tinha alguma coisa peculiar nele, parecia familiar em algo.
Viu o mago se levantar gritando para ninguém ataca-lo e o mais estranho foi esse começar a falar com o dragão. Era inteligente?

Por instinto, o Gruul toma uma posição. Como viu os elfos Boros largarem suas lanças devido a fraqueza e ao tremor do dragão Nau Kaa pega uma e fica posicionado a uns 60 metros à esquerda de onde estava a fera, uma distância de onde não pareceria uma ameaça mas que o deixava em prontidão.

Ficava a encarar os olhos da criatura numa tentativa de ler o que se passava.
avatar
Nau Kaa
Aspirante Gruul
Aspirante Gruul


Ver perfil do usuário http://ravnica.foruns.com.pt/t31-ficha-nau-kaa

Voltar ao Topo Ir em baixo

> Farid, Cyrus e Nau Kaa

Mensagem  Sistema em Novembro 15th 2013, 18:34

Jace ouvia as palavras de Sirius ainda olhando para o dragão no meio da praça, não parecia prestar muita atenção nas palavras do assassino, o dimir contudo sentiria uma leve sensação de tontura enquanto o planinauta lia seus pensamentos, e depois de alguns segundos Jace já não estaria mais ali, mas sim próximo a Farid na frente de Cyrus.

Cyrus! Use seu raciocínio! Escute o mago!

O planinauta dava um olhar para o azorius firme e concordava com a cabeça, entrando no plano para tentar pedir para que o dragão retomasse sua consciência, Jace até pensava na possibilidade de um contato telepático mas temia o que pudesse encontrar na mente do dragão, ou que levasse um contra-ataque mental forte demais, deixaria o plano mental para o plano B.

Vamos ajudá-lo! Precisamos estudar soluções e planos! Você está no controle?

Jace então notava que alguns boros, não-transformados, ainda cercavam a criatura com suas lanças, assim como um estranho que parecia ser um gruul, o planinauta então lhes enviava uma mensagem mental.

{Telepaticamente: Sem ações impulsivas!}

Então voltava-se e olhava o dragão no olho.

Cyrus, você tem o controle?
avatar
Sistema
Administrador


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

> Klattic

Mensagem  Narrador em Novembro 17th 2013, 20:54

Assim como fora pedido o oficial boros se apresentava, mais que isso, ainda apresentou todo o seu currículo, cicatrizes e opiniões, achando-se até nobre por recusar uma promoção, Thysa não escondia a cara de tédio e pensava consigo como o oficial falava de coisas que ela não queria saber, era um boros bastante prolixo.

Desculpe-me decepcioná-lo senhor Koseritz... mas não faço ideia de quem seja... e muito menos ainda da hierarquia boros...

A orzhov olhava para cima como se rezasse para que algum deus deixasse Klattic mudo, ele discursava sobre leis e números.

Agradeço o elogio... mas nenhum título de nobreza me fora concedido... nem condado e nem baronato... quanto às leis... sei o conteúdo das mesmas referentes ao meu trabalho... os números que me importam são dos zinos correntes e dos que faltam... pelo jeito tempo tens de sobra para decorá-los... enfim... por sorte Irina está formando-se advokist e tem um conhecimento bastante atualizado sobre as leis... Irina tenha a bondade sim?...

A garota corava ao ter seu nome mencionado, ela então adiantava-se e com os pergaminhos junto ao corpo, falava com uma voz doce e tímida olhando para o boros.

Feliz Pacto das Guildas senhor Koseritz! Na verdade algumas destas leis sofreram algumas modificações e anexos, O inciso 8 do artigo 72 teve uma complementação pela lei AZ-4589 que incluiu no inciso: membros da guilda Selesnya, especificamente da divisão ledev, e membros da guilda Orzhov encarregados de cobrança... lei inclusive promulgada pelo Árbitro-mor Agostinho IV na época...

Ao terminar de falar ela olhava de soslaio para Thysa esperando aprovação, a orzhov concordava com a cabeça e a jovem "pré-advokist" continuava.

Deste modo a ação da intendente Karlov não fere a lei e por isso sua tentativa de locomover-se com sua comitiva do local não configura fuga. Além disso, eutanistas são permitidos desde a publicação da Lei Regulamentadora da Escravidão por Dívidas, que depois fora ampliada para Lei Regulamentadora da Cobrança de Dívidas por petição do Colegiado de Economia Orzhov e aceita pelo então Árbitro-mor Azor III.

Thysa então sorria orgulhosa para sua secretária e olhava rígida para Klattic.

É claro que temos uma roda sobressalente oficial... imprudência não é a característica de nossa guilda... mas rodas custam zinos... e minha guilda não trabalha com prejuízos... devo dizer que agentes me interrogam... mas nenhum havia destruído um patrimônio... enfim prossiga Irina...

O artigo 32 do Código de Armas foi modificado depois de uma reunião com líderes de todas as guildas, alguns poucos anos após a criação do Pacto das Guildas não-mágico, todo cidadão ravnicano tem direito de portar uma arma ou expô-la, em relação ao seu uso a lei esmiúça para diversas situações particulares a serem julgadas, contudo, ela permite o uso nas situações previstas pelo inciso 8, o mesmo que citamos anteriormente, por todos os membros de guildas ou cidadãos que sintam ameaçados em relação à sua segurança ou de seus bens...

Irina remexia nos pergaminhos enquanto falava, certificando-se de ter em mãos rapidamente qualquer confirmação de leis que o oficial exigisse, Thysa havia se cansado do embate jurídico.

Machado ensanguentado... deveria percorrer a ladeira do açougue oficial... com certeza encontraria muitas lâminas intimidadoras e sangue pelo chão... é propina que deseja?... minha guilda funciona e preza pelas leis desta cidade... Na verdade... não existem inflações aqui senão da minha paciência... quanto às infrações não há nenhuma pelas leis... sinto desapontá-lo quanto a isso senhor Koseritz... um outro cidadão poderia intimidar-se e ceder lhe o ouro... mas dificilmente funcionará com funcionários de Vizkopa...

Ela então fazia um sinal com as mãos para que o soldado de maior porte alocasse a roda na carroça.

Se realmente se preocupasse com a população sendo ferida estaria defendendo e orientando a sua população... e não tentando supostamente defender meia dúzia de criminosos mortos...

A orzhov então viraria de costa em resposta ao sorriso.

Estou aqui como representante oficial de Viskopa... o banco tratará judicialmente das pendências que forem cabíveis... desejo-lhe sorte no processo oficial... e ótimos advokists ao teu lado para justificarem conduta tão atípica para um boros tão veterano e experiente... até mais ver...

Entrava com Irina então na carruagem, esperaria então os minutos necessários para o conserto da carroça e então a comitiva partiria para o Imersário.

Voltar ao Topo Ir em baixo

Thysa

Mensagem  Klattic em Novembro 18th 2013, 18:07

*A tentativa de impor alguma autoridade foi um fracasso esperado. Além de Thysa não ter se importado com palavra alguma dita pelo longo discurso de Klattic, a pequena menina deu um grande trabalho ao Boros.

-Pff que menina talentosa, espero que seus mentores não arranquem sua nobre timidez e doçura...

*A menininha era perspicaz, estava de conhecimento de leis que Klattic duvidava, aquilo o incomodava e o Boros não  iria querer bater boca com uma criança. Ficar calado parecia ser a melhor saída, um oficial wojek já estava anotando a situação e aquilo não seria mais problema dos Boros e sim dos Azorius. Porém as palavras de Thysa foram a gota d'água.

-Pff desculpe meu discurso enorme, apenas estava criando formalidade de uma situação ruim para você Pff. Embora tua guilda tenha permissão de fazer o que fez, sua conduta foi lamentável, você responderá por isso e todo este tédio que lhe proporcionei foi apenas o cume da montanha, o oficial wojek já irá mandar todo o relatório para os Azorius. Então boa sorte em tentar dobra-los.

Thysa continua a falar, desacatando Klattic com suposições de propina e falta de conduta, aquilo deixa o Legionário realmente furioso.

-Pff pff Propina?! Está duvidando de meus princípios?! Seu dinheiro mesquinho não vale nada aqui. Você ainda não entendeu quem sou eu? Pff CHEGA DE ME DESACATAR.

*Policiais e soldados Boros se aproximam de Klattic, rodeando os orzhovs. Thysa já estava dentro de sua carruagem, porém estava impossibilitada de prosseguir. Dois soldados estavam obstruindo a rua ao lado de Klattic. O Boros novamente estava com a mão irradiada. Um dos soldados até cochicha para Klattic perguntando sobre o dragão, o Legionário responde que nunca foi um problema aos Boros, e sim pessoas que zombam da justiça, se achando superiores, como aquela orzhov.

-Pff ainda não terminamos de conversar, menina!

avatar
Klattic
Aspirante Boros
Aspirante Boros


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Evento - Festival do Pacto das Guildas VII

Mensagem  Belian em Novembro 18th 2013, 22:24

Belian estava ansioso nos escombros da Duskmantle. Sob uma goteira costurava uma parte de sua vestimenta fazendo com que o ranger da velha maquina ecoasse pelo refugio. Mutare havia decidido que neste festival iria com sua aparencia natural, mas como era um momento de festejar precisava que as pessoas soubessem que estava contente. Talvez nesse pacto Szadek retornasse.

A maquina rangia, e vindo de fora o som da festa podia ser ouvido.

- Rapido, rápido...só mais alguns ajustes....

E um rugido colossal ecoa pelos corredores vazio da casa das sombras.

- Droga, estou perdendo toda a diversão...

Belian para então em frente ao pedaço de espelho que decora seu comodo e parece estar satisfeito

- Está pronta!!! PERFEITA.

Belian guarda sua especial mascara branca e coloca a nova mascara feita para o festival.



Como seria um dia especial Belian usa o perfume caracteristico dos membros das guilda Dimir "Agua de la fossa" e segue seu caminho entre os esgotos de Ravnica saindo em uma viela proxima ao festival.

Belian caminhava imponente, como um lorde entre os mendigos. Acenava, comprimentava e mostrava a todos a sua mascara feita por suas proprias mãos. Até chegar a uma barraca de doação de roupas, uma carruagem que ostentava luxo estava parada enquanto o concerto de uma das rodas não terminava. Em uma pilha de roupas era possivel ver a cabeça decaptada do velho  e bom Godric.

Aquilo o havia entristecido, Belian notou que não trouxera roupas para doar mas tinha algo que poderia valer um pouco mais. Um sorriso...

O metamorfo retirou sua mascara e a deixou na pilha enquanto fechava os olhos ainda abertos da cabeça cruelmente arrancada. Mas a atenção do metamorfo foi chamada para outro ponto do festival onde um Dragão parecia causar problemas.

Belian passou  caminhar de sua forma natural, esgueirando-se agachado e usando as pernas e as maos para se locomover. Ao olhar na face do dragão podia notar que havia consciencia ali e sem se importar em que estava presente começou a falar em uma lingua que parecia draconico. Talvez os metamorfos tivessem a habilidade inerente de se comunicar com qualquer forma de vida que eles possam assumir a forma.

- Grrrr drakar orrur?! Ararr roarrrr dreeeee? (O que está havendo? Consegue me entender?)

A maioria dos dragões, segundo as historias, consegue falar a lingua humana mas talvez alguns seres que possam assumir a forma de dragão tenham dificuldades em dominar os padroes vocais com a nova forma.
avatar
Belian
Aspirante Dimir
Aspirante Dimir


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

> Klattic

Mensagem  Narrador em Novembro 19th 2013, 13:25

Não bastava ter falado por horas e ter finalmente conseguido chegar à sua carruagem, o oficial boros continuava falando e falando, Thysa estava bastante sem paciência e fazendo um grande esforço para não perder a classe, afinal era uma Karlov.

O oficial Koseritz fala bastante não é mesmo irmã?

Bem mais do que deveria Irina... geralmente boros são impulsivos e explosivos... mas poucos discursam tanto como este... ele teria uma boa vaga como azorius... além de prolixo e pouco pró-ativo parece adorar a guilda da Nova Prahv... a citando em cada frase...


O boros então começava a gritar e agora fechava o caminho da comitiva, que contava com a carruagem de Thysa conduzida por um pequeno trhull cocheiro e dois cavalos, a carroça com os corpos conduzida pelo eutanista montado em um thrull paquidérmico e dois cavaleiros em escolta. A intendente então abriria a pequena cortina e colocava a cabeça para fora, com o queixo apoiado na mão.

Se continuares bufando e gritando assim oficial... vai acabar com teu fôlego... eu já entendi que és Klattic Koseritz... um boros e blá blá blá... e que vai encaminhar meu crime hediondo e cruel aos azorius... e agora porque continuas no meu caminho?... quer palmas pela brilhante intervenção militar?

Ela então levantava as mãos ainda apoiadas na porta da carruagem como se preparasse pra bater palmas. Caso enfim o boros abrisse passagem a comitiva orzhov rumaria para Viskopa.

Voltar ao Topo Ir em baixo

> Núcleo: Cyrus

Mensagem  Magnus em Novembro 19th 2013, 14:37

Pensamento: Mas que droga foi essa que aconteceu?!

O boros estava dentro do banheiro, olhando apenas por uma pequena fresta na porta para todos ali no bar, pelo visto ele não era o único a ter se transformado naquela criatura feia. Ele procurava com os olhos pela dama que estava antes, mas ela já não estava mais lá. Aquele pseudo-encontro foi pelos ares

Pensamento: Tenho de sair daqui e descobrir o que aconteceu... Rápido! Mas... Não assim.

Olhou para seus braços, logo em seguida para seu corpo, estava bizarro. Procurou pelo banheiro por algo que lhe fosse útil, mas não achou muita coisa, apenas uma toalha velha que estava ali para secar as mãos após usar a pia. O cheiro não era dos melhores, mas Magnus cogitou pega-la, mas ainda com sua mão nela ele desistiu, lembrando que não era o único ali com aquela aparência, portanto, não precisaria se camuflar ou qualquer coisa do tipo. Segurou suas calças com a mão esquerda e saiu rapidamente dali

Boros ----- Boros 

O boros correu apressado para a guarnição, na tentativa de achar alguma curandeira lá, mas no caminho acabou por encontrar algo ainda mais curioso

Magnus: Mas que... O que diabos está acontecendo com Ravnica?! - Perguntou a um Gruul que estava ali (NAU KAA)

Haviam muitas, muitas pessoas com a aparência quase idêntica a que Magnus havia assumido, inclusive uma tropa boros inteira, mas isso era o de menos, um dragão estava lá rodeado por pessoas e seres, que pareciam gritar com ele buscando por compreensão ou entendimento. Magnus simplesmente não entendia as coisas que via e lá no fundo estava torcendo para estar bêbado
avatar
Magnus
Aspirante Boros
Aspirante Boros


Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

> Magnus

Mensagem  Nau Kaa em Novembro 19th 2013, 17:40

CYRUS?! Foi esse o nome que o novo estranho de azul disse.
“Mas esse não era o nome do Izzet? aquele com quem tive uma luta?!”
“Será que ele já podia fazer isso naquela vez, virar um dragão?! Estava brincando comigo?”


Nau Kaa olha em volta.
“Não...”

Animais aparecendo de repente, elfos Boros estranhos. As coisas aqui não são naturais, e parece que é o caso dele pra causar tanto alvoroço.

“Hmph! Homem ou Dragão, não vou deixar esta existência sem descobrir até onde irei contra o exemplar dos mecânicos!”

{Telepaticamente: Sem ações impulsivas!}

Essa voz ecoou na cabeça do Gruul.
Foi o homem de manto azul? Parece que ele quer conversar com o transformado, acalmá-lo.
Mas se o Izzet virou uma fera como parecia, multidões só iriam perturbá-lo. Pensou isso e sorriu.

Ficando ainda em guarda com a lança recém-pega e sua espada nas costas, Nau Kaa é abordado por um dos elfos esverdeados assustado com o quê via.

Magnus: Mas que... O que diabos está acontecendo com Ravnica?!

Nau Kaa: Leis da Natureza distorcidas por algo ou alguém, e o melhor exemplo bem à frente.
Olhando com o canto do olho: - Acho que aconteceu com você também, ou foi sempre assim?
avatar
Nau Kaa
Aspirante Gruul
Aspirante Gruul


Ver perfil do usuário http://ravnica.foruns.com.pt/t31-ficha-nau-kaa

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Evento - Festival do Pacto das Guildas VII

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 2 de 3 Anterior  1, 2, 3  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum